A releitura do cinza

A releitura do cinza

Há algum tempo, quando se falava em utilizar cinza na decoração, algumas pessoas “torciam o nariz” por acreditarem que o cinza seria uma cor sem vida, monótona e pesada.

Mas assim como a moda, a arquitetura também faz releituras das tendências passadas, e o cinza passou a ser o queridinho e parece que vai permanecer neste posto por muito tempo.

O concreto/cimento queimado nos remete ao monocromatismo cinzento, que teve seu auge entre os anos 1940 e 1950, durante o período modernista, onde estava presente no concreto aparente e no aço.

A volta do cimentício no século XXI aconteceu suavemente, chegou com alguns detalhes em cimento queimado, e foi ocupando outros espaços. Hoje está presente nos móveis, pisos, paredes, objetos de decoração, cortinas, roupas de cama e diversos outros acessórios.

É certo dizer que o cinza é uma cor sóbria e que hoje ele roubou um pouco dos espaços que antes eram ocupados por branco e bege.

Por ser uma cor neutra, o cinza é versátil e combina com várias tonalidades para composição de ambientes dos mais diversos estilos e propostas. Salas, cozinhas, quartos infantis e lavabos são alguns dos espaços em que essa cor pode ser utilizada sem medo.

A combinação do cinza com tons pasteis como o rosé, o amarelo, o azul e o verde, traz leveza e sofisticação aos espaços. Os tons amadeirados, metalizados, brancos e off-white também fazem uma composição perfeita.

Inspire-se!

Comments are closed.